Blog da AUGE

Navegue e descubra tudo o que você precisa para alcançar o próximo nível...

Imagem de destaque do Artigo: Aprenda de uma vez por todas a Reduzir a Taxa de Rotatividade da sua Empresa

Aprenda de uma vez por todas a Reduzir a Taxa de Rotatividade da sua Empresa

20/07

Aprenda de uma vez por todas a Reduzir a Taxa de Rotatividade da sua Empresa. Neste artigo, apresentamos, de forma prática e didática, alguns dos motivos da alta taxa de turnover nas empresas e ações que podem ser implementadas para a sua melhoria. CLIQUE NO LINK E CONFIRA!!!

Conteúdo:

As empresas são feitas de pessoas e são as pessoas que fazem o negócio acontecer de fato. Por isso, é importante que você entenda o que é turnover e como ele pode impactar nos resultados da sua empresa.

O que é o turnover


O turnover é um indicador usado para apurar qual a taxa média de entrada e saída de funcionários de uma empresa. Ou seja, ele calcula o número de colaboradores que saíram e entraram na empresa durante um período específico.

Na gestão da empresa, quando se trata do RH, é muito importante entender sobre o turnover, pois ele demonstra a capacidade da empresa de reter talentos e o quanto a organização é atrativa para seus funcionários e clientes.

Segundo os dados publicados pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), no Brasil, o turnover pode chegar na casa dos 82%.  

É válido lembrar que, se a taxa de rotatividade de uma empresa estiver acima de 5%, ela será afetada financeiramente, pois a mesma terá que arcar com gastos relacionados a rescisões contratuais e treinamentos para os novos colaboradores.

Quais as causas de uma alta taxa de rotatividade?


Entre várias causas para uma alta taxa de rotatividade, destacamos as seguintes:

1. Esgotamento Físico e Mental:

Por meio de análises feitas em empresas, descobriu-se que mais da metade dos colaboradores sentem que inexistem horas suficientes na semana para realizarem seus trabalhos.

Outro dado importante é o de uma pesquisa realizada pela International Stress Management Association (Isma) entre 2013 e 2014. A pesquisa concluiu que cerca de 30% dos profissionais brasileiros sofrem com a Síndrome de Burnout.

Uma das consequências desta síndrome é o aumento do presenteísmo, ou seja, o funcionário está em seu posto, mas não consegue render o suficiente. É um fenômeno que também pode ser observado por meio de ausências constantes por licenças médicas.

A rotina e o alto nível de estresse, além dos pontos citados, contribuem o aumento da sensação de se sentir encurralado como se a sua única opção fosse a saída da empresa. E é isso que o colaborador faz. Pede demissão.

2. Ausência de Feedback Positivos:

Quando não existe uma estrutura de feedback bem estruturada na empresa, a taxa de turnover pode ser bem elevada.

O Feedback é de extrema importância para a saúde do RH e da empresa como um todo. Porém, sem uma cultura de feedbacks implantada dentro da empresa, impactos negativos na produtividade de toda a equipe serão só a “ponta do iceberg”.

A falta de feedback pode fazer o colaborador se sentir perdido, o que, como consequência, transmite a ideia de que o funcionário e o trabalho realizado são insignificantes.

E por mais que o salário seja importante para o funcionário, o reconhecimento para ele tem valor maior.

3. Plano de Carreira:

Todos os funcionários desejam crescer e se desenvolver profissionalmente. Desejam ter oportunidades para avançar suas carreiras.

Cerca de 25% de funcionários deixaram suas empresas por um aumento de 10% em outra empresa. É uma taxa pequena, mas, ao mesmo tempo, pode ser alta quando se trata de pequenas e médias empresas. Se uma empresa não oferece condições de crescimento para o funcionário, qualquer oportunidade de melhoria pode ser facilmente aceita.

Por isso, a existência de um plano de carreira se faz tão necessária. É a partir do plano de carreira que o funcionário poderá visualizar o seu futuro dentro da empresa. Além disso, o plano de carreira é a certeza do funcionário de que todos os seus esforços têm um propósito a mais do que apenas servir a empresa.

Como Reduzir o turnover?


Dentre algumas maneiras de diminuir a taxa de rotatividade, destacamos as seguintes:

1. Melhore o Processo Seletivo:

É antes da contratação que você já pode implementar ações para que a taxa de rotatividade da empresa seja menor.

É preciso potencializar o recrutamento e a seleção no intuito de contratar profissionais de excelência que de fato sejam compatíveis com as vagas ofertadas.

Ao definir o perfil do funcionário adequado para sua empresa, você perceberá uma mudança significativa no percentual da taxa de turnover da empresa.

2. Treine e Desenvolva a Equipe:

Investir em capacitação técnica e comportamental permite a potencialização da qualidade e da produtividade do colaborador, além de construir uma cultura de desenvolvimento cíclico e contínuo, com foco em resultados.

Uma sugestão prática é iniciar um programa de Educação Corporativa na empresa para que seja possível gerar engajamento e propósito nos funcionários.

3. Ofereça benefícios:

Fazer com que os funcionários se apaixonem pela empresa é uma das melhores formas de diminuir a taxa de turnover. O incentivo aqui não é para criar “filhos mimados”, mas funcionários satisfeitos, engajados e com foco na missão.

Para fazer isso nada melhor do que oferecer benefícios para fortalecer a relação entre o funcionário e a empresa.

Alguns exemplos de benefícios que podem ser oferecidos:

  • Flexibilização do horário de trabalho;
  • Parcerias com organizações que possibilitem o bem-estar dos colaboradores (clubes, cinemas, livrarias, dentre outros);
  • Bolsas de Estudo;
  • Auxílio-Creche;
  • Plano Odontológico.

Esses são alguns dos benefícios que contribuem com o aumento da satisfação dos funcionários. São algumas ideias entre as mais comuns de benefícios que podem ser oferecidos para todo o time. E acredite! Todos esses benefícios influenciaram não somente na taxa de rotatividade da empresa como também aumentará a produtividade de toda a equipe.

Considerações

Chegamos ao fim deste artigo e você pode ter percebido qual foi o enfoque aqui… PESSOAS. O maior capital das empresas são as pessoas. Lembre-se sempre desse detalhe. 

As que conseguem mudar a vida de seus funcionários, seja profissional ou seja pessoalmente, são as empresas que serão lembradas por décadas e décadas futuras.

Clique aqui e acesse mais conteúdos relevantes como este.

Por Antônio Júnior, Especialista em Gestão Estratégica de Negócios e Master Trainer.

Inscreva-se em nossa NewsletterReceba todas as promoções, novos cursos e eventos em seu e-mail.
Imagem de destaque do Artigo: 07 Práticas Básicas para Aumentar sua Capacidade de Delegar

07 Práticas Básicas para Aumentar sua Capacidade de Delegar

07 Práticas Básicas para Aumentar sua Capacidade de Delegar. Neste artigo, apresento 07 práticas básicas que farão você aumentar a sua capacidade de delegar tarefas. CLIQUE NO LINK E CONFIRA!!!...

Ver artigo completo
Imagem de destaque do Artigo: Lucro e Faturamento: Saiba a Importância de Entender as Diferenças

Lucro e Faturamento: Saiba a Importância de Entender as Diferenças

Lucro e Faturamento: Saiba a Importância de Entender as Diferenças. Neste artigo, explico a diferença entre lucro e faturamento e de que maneira eles podem ser aplicados na sua empresa. CLIQUE NO LINK E CONFIRA!!!...

Ver artigo completo
Imagem de destaque do Artigo: O Microgerenciamento está acabando com a sua Empresa

O Microgerenciamento está acabando com a sua Empresa

O Microgerenciamento está acabando com a sua Empresa. Neste artigo, explicamos sobre o que é, quais as causas e como o microgerenciamento pode prejudicar a gestão da sua empresa. CLIQUE NO LINK E CONFIRA!!!...

Ver artigo completo